Trip pelo Uruguai – #1 Montevidéu

Trip pelo Uruguai – #1 Montevidéu

Falar sobre a nossa viagem pelo Uruguai vai ser tarefa fácil, porque simplesmente nos encantamos por este lugar tão lindo e tão pertinho de nós! Então, compartilharei com você o…

Falar sobre a nossa viagem pelo Uruguai vai ser tarefa fácil, porque simplesmente nos encantamos por este lugar tão lindo e tão pertinho de nós!

Então, compartilharei com você o nosso roteiro pelo Uruguai (os lugares que escolhemos visitar e quantos dias passamos em cada cidade), as descobertas pelo caminho e dicas preciosas que podem ajudar em sua trip também! Todas as fotos são nossos próprios registros da viagem, meus e do Thales.

Sou praticante do slow travel, não gosto de visitar lugares correndo, tirar fotos em pontos turísticos apenas para dizer que fui e tampouco seguir roteiros “como conhecer tal lugar em 2 dias”. Já vivemos em rotinas tão corridas, que muitas vezes o “contemplar” desaparece do nosso hábito. Então viajar é a melhor das oportunidades! É o momento de mudar a órbita, flanar e flanar sem compromisso com o tempo, conhecer lugares especiais pelo caminho e se dar o direito de não precisar cumprir prazos. É quando me sinto plena, no auge da paz interior. Você também se sente assim? Então anote as dicas que gostar em seu caderninho de próximos destinos e desfrute de momentos de paz em terras uruguaias.

Começamos a viagem por Montevidéu, a capital do país.

Esta cidade nos encantou e nos apresentou muito mais do que esperávamos depois de tudo que pesquisamos e lemos em blogs de viagens ( e olha que sempre pesquisamos muuuuito antes de viajar!). Escolhemos nos hospedar na Cidade Velha e passar 6 dias por lá. Nos hospedamos no Puerto Mercado Hotel e gostamos muito! O hotel é ótimo, quartos aconchegantes com tudo que precisamos para a estadia, banheiro moderno com uma ducha deliciosa, ótimo serviço de camareiras e limpeza impecável. A localização também nos agradou pois a nossa vibe é a cidade antiga. Sempre escolhemos ficar nas regiões mais antigas que respirem a história local, por isso deu super certo a escolha deste hotel já que ele fica a poucos passos do Mercado del Puerto e entre uma arquitetura incrível!

Vamos às dicas do que nos encantou em Montevidéu e recomendamos:

> Plaza Constitución. Uma praça linda e charmosa localizada na Cidade Velha que você não pode deixar de passar e contemplar a sua beleza! Em volta dela se localizam importantes construções, entre elas a Catedral Metropolitana, Museus e uma feira de antiguidades aos finais de semana. Tem ares de Paris, passei por lá todos os dias de tanto que amei!

Plaza Constitución
Plaza Constitución
Eu, totalmente in love pela Plaza Constitución

> Na própria praça está a Catedral Metropolitana de Montevidéu, de arquitetura neoclássica. Obviamente vale a visita! (Conheça a sua história)

> A feira de antiguidade da Plaza Constitución, lógico, porque velharias é comigo mesmo! (haha) Visitamos essa feira no sábado de manhã, leia “de manhã” como depois das 11h. Costumamos acordar cedo para aproveitar o dia mas acabamos chegando com as barracas ainda se ajeitando para começar. Aí fiz o “sacrifício” de sentar em um dos bancos e aguardar sem pressa. Nessa feira você verá muitos objetos antigos, quinquilharias, miudezas, porcelanas e gravuras antigas do Clube de Gravuras de Montevidéu, que hoje já não existe mais, mas que também faz parte da sua história. O dono dessa barraca é a simpatia em pessoa, ganhou nosso coração e nos explicou tudo sobre os artistas da região! Trouxe um para a parede do atelier, lógico.

Feira de antiguidades da Plaza Constitución
Barraca das gravuras antigas

> Feira Tristán Narvaja aos DOMINGOS! Essa dica está na lista das IMPERDÍVEIS. Se for passar um domingo em Montevidéu e se gostar de feiras livres e antiguidades não deixe de conhecê-la por naaaada nesse mundo. Bom, vou tentar resumir algo “inrresumível”: uma feira ao ar livre em várias ruas, ruas paralelas e outras que se cortam (literalmente uma malha de ruas!) com barracas (ou kombis!) de frutas, queijos, flores, roupas, artesanato, livros e muita, MUITA velharia. E das boas! Você verá de tudo, de tudo mesmo. Então reserve sua manhã e tarde de domingo para passear por todas as ruas e garimpar objetos incríveis. Se possível, e se for do seu feitio (haha), barganhe. Há muita diferença de preços entre os vendedores, então vale dar aquela choradinha. A feira localiza-se no bairro Cordón e fomos até lá de Uber! Nesse rolê compramos uma raquete de tênis antiga, um taco de golfe velhão e uma placa de carro mais velha ainda – tudo para enfeitar a parede da casinha do Thales. Somos velharias-lovers mesmo.

Feira Tristán Narvaja

> Passear pelas Ramblas. As Ramblas são basicamente a orla deles e um passeio por lá também é uma delícia! Como fomos no inverno, a friaca nos obrigava a apenas contemplar, o que adoramos! Somos hiper praianos e amamos o verão e pela primeira vez descobrimos a beleza de passar frio em praias. Posso dizer? Foi mágico. A praia e a orla ganham um novo aspecto e uma nova sensação – é agradável, relaxante e traz paz. Neste passeio fomos antes ao Parque Rodó ( pois almoçamos pertinho de lá!) e de lá fomos andando até as Ramblas onde passeamos e sentamos um pouco, fica essa sugestão também. O Parque Rodó é um jardim aberto, com áreas verdes, um lago e um astral bem gostoso. Este não colocaria na lista dos imperdíveis, mas se estiver passando por lá fica…

Passeando pelas Ramblas do Parque Rodó

> Museu de Artes Decorativas, o Palácio Taranco. Uma descoberta linda andando pela Cidade Velha e gratuito. Esta é uma mansão maravilhosa construída pelo mesmo arquiteto do Petit Palais e do Arco do Triunfo de Paris. Com referências tipicamente francesas e uma história riquíssima, explicada pessoalmente por um dos seus administradores. Tivemos o prazer de conversar com este senhor fofo que andou com a gente pela casa e nos contou a sua história! Vale a visita e também faz parte do roteiro menos turistão.

> MAPI, Museu de Arte Precolombino e Indígena. Fica na mesma rua do Palácio Taranco, também na Cidade Velha. Pagamos 80 pesos por pessoa (por volta de12 reais). Este Museu também se localiza em uma construção lindíssima, como tudo na Cidade Velha e expõe peças arqueológicas pertencentes à diferentes culturas do continente Americano. Achamos incrível, pois adoramos história e arqueologia, além de ser uma oportunidade singular de conhecer ainda mais sobre o nosso próprio continente. (Site do museu)

> Museu Cabildo, na Plaza Constitución. Mais uma vez, uma linda construção bem no coração da Cidade Velha e em frente à Catedral Metropolitana. O museu é gratuito, exibe exposições temporárias e um acervo fixo. O que mais nos encantou por lá, além da sua arquitetura foi a exposição “La llave del Plata” que ficará até junho de 2017, sobre as invasões inglesas e guerras navais no Rio da Prata. Além de relatos da história e objetos da época, a cartografia dos mapas antigos nos encantou. Vimos de perto alguns originais feitos em aquarela! (Site do museu)

> Plaza Independência, Porta da Cidadela, Mausoléu do General José Artigas e Palácio Salvo. Essa é uma praça muito importante e também adorável de Montevidéu e fica pertinho da Cidade Velha, caminhando no sentindo do Porta da Cidadela ( e também no sentido da famosa avenida 18 de julho!). Deixando a Cidade Velha você passará pelo Porta da Cidadela, ruína da era colonial da cidade e então estará diante dessa enorme praça onde também se localiza a escultura de José Artigas, o herói nacional do Uruguai. Logo embaixo dessa belíssima escultura você poderá visitar o seu mausoléu, uma homenagem imponente ao ícone que mudou a história do país. Na outra ponta da praça (fazendo esquina com a 18 de julho) você contemplará um lindo prédio que destoa de todo o resto, com uma arquitetura de estilo eclético: o Palácio Salvo. Essa é uma construção emblemática de Montevidéu e foi por muitos anos a maior torre da América do Sul.

Porta da Cidadela
Palácio Salvo

> Teatro Solís. Da lista dos imperdíveis EVER. Não deixe de visitar mesmooo! Este é o maravilhoso teatro da cidade e oferece visita guiada (inclusive em Português!) para conhecermos o seu interior, camarotes e salão principal. Com essa visita conhecemos a sua história, características de arquitetura, pintura, iluminação, acústica e curiosidades super divertidas. Foi incrível, um dos passeios mais apaixonantes! Vale muito a pena e é bem baratinho. Você pode comprar na hora mesmo e aguardar o próximo horário! O Teatro localiza-se pertinho da Praça Independência.

Teatro Solís

> Assistir à uma apresentação no Teatro Solís. Essa é a minha dica de ouro. Se você tiver oportunidade, por favor, vá.  Logo depois da visita guiada, corremos para ver as atrações do Teatro e tentar comprar alguma delas. E aí os céus me prepararam uma surpresa: estava em cartaz a Orquestra Filarmônica de Montevidéu. Assistimos a apresentação em uma terça-feira à noite, com a lotação máxima, do charmosíssimo camarote e em um silêncio admiravelmente absoluto – como nada que já vi nesta vida. Uma orquestra de mais de 40 músicos, com instrumentos que iam de violino, flauta transversal, harpa à tambores e para fechar com chave de ouro, o pianista brasileiro Fabio Martino abrilhantando a orquestra, como solista. Perdi o fôlego. Foi uma duas noites mais inesquecíveis da minha vida e a nossa despedida da cidade. Pagamos 200 pesos por pessoa, aproximadamente 25 reais, por este momento indescritível!

O dia da apresentação no Teatro Solís

O que vale a pena conhecer quando o assunto for gastronomia ou coffee time.

Não somos especialistas em gastronomia, nem tampouco “gourmetizados” e já caímos em algumas ciladas por seguir dicas de restaurantes: ou nem era lá grandes coisas ou era caro demais. Então prefiro não falar muito sobre esse assunto pois além de ser bem pessoal acho um pouco intuitivo, as vezes um restô nos encanta assim do nada e dá super certo. Ou as vezes queremos economizar e entramos no Mc Donalds mesmo. É ou não é? (haha) Então firulas a parte vou te contar aqui sobre dois lugares bem legais que recomendo sem medo de errar. Os dois ficam na Cidade Velha!

> O famoso Mercado Del Puerto. Lá é onde comemos do modo mais típico a também famosa parrilla, o churrasco uruguaio. Não sou vegana mas também não como carne todos os dias, mas mesmo assim adoro um churrasco. Se você é dessa tribo também, pode ir sem medo de ser feliz porque a carne uruguaia é simplesmente maravilhosa. Macia e suculenta. E olha que entendo bem do assunto afinal meu pai foi açougueiro por longos anos e hoje tem uma rotisseria! (haha) O mercado tem todo um charme pois é cheio de restaurantes fazendo suas parrilladas ao vivo e ainda possui várias lojinhas de souvenirs uruguaios. Apesar de bem menor, lembra bastante o mercado central de Belo Horizonte. Comemos lá por um dia e adoramos, principalmente o Thales, lógico!

> Café Brasilero. Você já deve ter ouvido falar ou lido posts recomendando este café e realmente é um charme. Este é o café mais antigo da cidade e mantém suas características tradicionais, como o piso, o mobiliário e os objetos que o decoram. Aí não tem como não amar né? Recomendo parar por lá para um coffee time, vai ser o maior astral. Ou quem sabe almoçar, que foi o que fizemos. Lá também serve almoço, mas tem bem poucas opções no cardápio. Acho que o charme mesmo está no café de final de tarde!

Nós, no Café Brasilero

 

E por fim (afinal por mais difícil que seja parar de falar dessa cidade tenho que por um fim no post! haha) algumas dicas “plus” caso goste  e curiosidades que podem te ajudar.

> Visitamos os dois shoppings principais da cidade: o Punta Carretas e o Shopping Montevidéu. O Punta Carretas é uma antiga penitenciária, muita famosa por sua história e por ter sido prisão do Mujica, ex-presidente do Uruguai. Lá é um pouquinho mais “glamuroso” por fora, mas por dentro tem quase as mesmas lojas que outro shopping. Ambos possuem a praça de alimentação com várias opções, que podem ser soluções para o momento “comer”. 🙂

Resolvi falar do shopping pois me chamou muita atenção algumas marcas locais e fiz várias compras fofas. Nestes dois shoppings você encontrará tais lojas, então “põe reparo” nelas: Parisien, Daniel Cassin, Espaço B.A., Lemon e Uniforme. Não achei o preço bom, pois sou garimpeira de boas compras, mas dei a maior sorte de estar lá em época de “rebajas”, ou seja promoção-para-nos-enlouquecer. Então comprei casacos lindos e alguns acessórios! O pulo do gato: essas lojas possuem outlets na 18 de julho. Então se for dar um rolê por lá, encontre suas versões mais econômicas nessa avenida e se prepare para garimpar. Entre peças que estão na cara que são encalhadas e feinhas tem várias muito boaaaas, fiz ótimos achados por lá!

> Se for trocar dinheiro, compare entre as casas de Câmbio da 18 de julho. Não troque na Cidade Velha pois lá o câmbio não é legal! Chegamos a ver diferença de 1 real entre as empresas de câmbio.

> O serviço de Uber em Montevidéu é vida! Pegamos Uber muitas vezes e foi maravilhoso. Em todas as corridas deu super certo a experiência e foi em nossos papos com os motoristas que conhecíamos mais sobre histórias e curiosidades da cidade. Apesar de ainda não estar 100% legalizado por lá, tudo correu muito bem e a frota de carros já está enorme. Fica a dica.

> No Uruguai, assim como na Argentina, também são cobrados os cubiertos, os seja os talheres. Esse preço variou nos restaurantes que fomos de 40 à 80 pesos por pessoa e está sempre embutido na conta. Enfim, é prática deles, temos que pagar. Mas confesso que ficamos sempre imaginando a gente tirando da bolsinha os nossos próprios cubiertos. 😛

> É vantajoso pagar restaurantes com o cartão de crédito.Eis aqui uma prática feliz, yeah. Como icentivo ao turismo, 18% do valor investido em restaurantes é devolvido em pagamentos no crédito. Ou seja, se você optar pagar os 10% do serviço + IOF ainda receberemos uma “cheirinho” de volta. Também lemos essa dica em blogs de viagens e fizemos o mesmo!

> Os uruguaios são simpáticos e acolhedores. Nos sentimos acolhidos e em casa. Mesmos arranhando um portunhol bem mais ou menos, eles faziam esforço para nos compreender e bater longos papos. Adoram o Brasil e conhecem muito mais o nosso país que o contrário. Fiquei bem surpresa como eles também se sentem em casa por aqui!

> Se você também for “crossfiter”, treinamos No Crossfit MVD e foi demais! Essa dica é bem específica, para os apaixonados por Crossfit que assim como nós, curtem treinar em outras cidades e países. Fizemos isso em Paris e foi lindo treinar em francês e desta vez treinamos em Montevidéu e adoramos. (Página do box)

 

Ande a pé sem medo de ser feliz

E por fim, como sempre termino meus posts de viagem: não tenha medo de andar a pé. É sempre flanando que conhecemos as cidades que visitamos pelos melhores ângulos e nos deparamos com lindas surpresas!

Se você também ama viajar vem cá conhecer os produtos que criei especialmente para “nós”, viajantes! 

No próximo post te contarei sobre a nossa segunda parada no Uruguai: a surpreendente Punta del Este.

Mil beijos e até lá!