Trip pelo Uruguai – #3 Cabo Polônio

Trip pelo Uruguai – #3 Cabo Polônio

Escolhemos um dia da nossa passagem por Punta del Este para alugar um carro e viajar por um pedacinho da costa do Uruguai, passando por José Ignácio com destino final…

Escolhemos um dia da nossa passagem por Punta del Este para alugar um carro e viajar por um pedacinho da costa do Uruguai, passando por José Ignácio com destino final em Cabo Polonio. Todas as fotos são nossos próprios registros da viagem!

Como fizemos: partimos no sentido José Ignácio, que fica à 45 km de Punta e paramos por lá para conhecer e subir em seu farol. José Ignácio é um balneário charmoso e dono de uma paisagem mais selvagem. Tem um astral rústico, achei um verdadeiro charme! Subimos no farol e quase morri, porque tenho pavor de lugar fechado (haha) mas meu atrevimento me fez subir. Precisa de fôlego e calma, fica a dica. A vista é estonteanteeeee! Se você não é medroso e claustrofóbico como moi, vá vá e vá. A vista é fueda MESMO!

Farol de José Ignácio

 

 

um clic, com frio na barriga, lá do alto do farol

De lá continuamos a nossa viagem pela Ruta 10, sentido La Paloma com parada em Cabo Polonio, na verdade no parque Nacional de Cabo Polonio. Rodamos por mais 80km em uma estrada hiper tranquila e segura. Eu que estou acostumada com as estradas cheias de caminhões de Minas achei que estava, mais uma vez, em um filme! Cabo Polonio nada mais é do que um pedacinho de paraíso na terra, um povoado localizado no departamento de Rocha, com população fixa pequena (aproximadamente 400 pessoas), sem presença de rede elétrica, com uma paisagem de dunas ao seu redor, casinhas pitorescas e singulares, um farol que você também pode subir, uma paisagem inacreditável de mar e pedras (infinitas pedras) e lobos-marinhos, siiiiiim, muitos deles. Um lugar realmente mágico e diferente de todas os lugares que já conheci!

 

lugar de uma magia inexplicável

 

thumb_IMG_4833_1024

 

thumb_IMG_4883_1024

 

Caminhar pelas suas infinitas pedras, contemplando o mar e uma paisagem selvagem que nenhuma foto seria capaz de mostrar – foi o que fizemos durante toda nossa tarde. Sentar em algumas delas para ver o mar ou observar os lobos-marinhos, nos encantou. Eu só queria poder parar o tempo o ficar ali por horas e horas a fio, sem precisar partir. Por isso, tive a certeza de que um dia voltarei para uma estadia completa nesse paraíso “quase perdido”.

 

passeando pelas suas infinitas pedras

 

os fofíssimos lobos-marinhos nas pedras

 

pelo caminho, com o coração transbordando pela beleza desse lugar

 

Cabo_2

 

Como tudo que é rústico e preservado, há restrições de entrada. Então anota aí como funciona: você chegará no Parque Nacional de Cabo Polônio, que fica logo na estrada assim que começar avistar as placas de indicação que chegou em seu destino. O Parque possui uma sede, com recepção, banheiros, uma micro lanchonete, um mini museu e estacionamento (pago!) para você deixar o seu carro. É dali que parte o caminhão que te levará até Cabo Polonio propriamente dito. Yep. Um caminhão todo aberto, também pago (200 pesos por pessoa, uma média de R$25), que te leva no modo adrenalina. Ele vai saculejando entre as dunas e já te apresentando um cenário lindo que te aguarda. É beeeeem divertido!

Um detalhe importante é que o caminhão tem horários fixos de partida e de retorno, e eles são diferentes no inverno e no verão (no inverno há menos horários!). Quando fomos, agora em agosto (2016) os horários de partida eram os seguintes: 07:00h e 13:00h. E os horários de retorno eram: 14:00h, 16:00h e 18:00h. O tempo de travessia entre as dunas até chegar na praia de Cabo é de aproximadamente 25 minutos e o lugar que o caminhão nos deixa é seu centrinho – um simpático vilarejo de várias casinhas, hostels, lojinhas e restaurantes. Tudo muito rústico, charmoso e autênico. Realmente adorável!

 

casinhas lindas e pitorescas de Cabo

 

Algumas dicas para quem deseja conhecer esse paraíso de pertinho:

> Alugar um carro é uma ótima pedida. Se você estiver em Punta é super possível fazer esse passeio em 1 dia. Basta alugar um carro por 24h e dirigir tranquilamente até lá. Foi como fizemos nessa trip! Mas, prepare-se para voltar com gostinho de quero mais. A dica de ouro mesmo é tentar dormir pelo menos por um noite para curtir o pôr do sol e o céu estrelado em um vilarejo sem interferência elétrica.

> Se for passar apenas um dia, leve um lanchinho na mochila. No dia que estivemos lá havia apenas um restaurante aberto e ficou um pouquinho cheio por conta de várias pessoas que chegaram no mesmo horário que nós. Como tínhamos um lanchinho na mochila resolvemos nem almoçar. Até porque não queríamos perder um segundo daquele passeio incrível! Então, leve um rango à tira colo.

> Se estiver de carro, você terá que deixá-lo no estacionamento do Parque Nacional. O estacionamento custa 170 pesos por dia, aproximadamente 20 reais.

> Pesquise hostels, pousadas ou casas no Airbnb. Há várias opções de estadia, desde as mais simples e acessíveis até as mais caras e confortáveis. Se for passar algumas noites, eu já viajaria com tudo reservadinho!

> Cabo é o lugar ideal para a meditação. Você será obrigado a praticar um belo de um “nadismo”. Viverá momentos de contemplação e muito calma. A natureza de beleza abundante ficará à sua disposição, com um mar maravilhoso para se banhar, tomar sol e caminhar. Com as lindas e enormes pedras, também para caminhar e meditar. E com os campos verdinhos, salpicados por florzinhas, casinhas de diferentes formatos, o Farol e uma bela de uma vista.

> Saiba mais, visitando a categoria Cabo Polonio no site oficial do Uruguai.

 

Cabo_1

 

thumb_IMG_4832_1024

 

Ainda não inventaram nada mais incrível nessa vida do que viajar, conhecer o mundo com os próprios olhos e viver o presente da forma mais plena possível. Que sempre saibamos agradecer aos céus por esta dádiva!

E se for conhecer esse paraíso também, que você viva momentos lindos e inesquecíveis.

Mil beijos e até o próximo post sobre a nossa última parada no Uruguai: Colonia del Sacramento.